Como Fazer Para…

Utilizar a ferramenta Apuração de Custos          

O cálculo de custo funciona da seguinte forma:

1 – Serão selecionados todos os registros de classificação financeira que estiverem no período informado na referência selecionada para processamento, com base na data informada no Configurador geral do sistema, configuração de custos;

2 – Serão selecionadas as classificações cujo lançamento seja:

– De pagamento;

– Pertença ao período e data selecionados;

– Não sejam geradores de transferências monetárias;

– Os lançamentos sejam reais;

– As classificações podem ser de despesas ou receitas, as receitas serão deduzidas das despesas;

– As classificações que não possuírem centro de custo informado, terão seus valores totalizados em um centro de custo em branco de nível 1.

3 – Essas classificações selecionadas serão totalizadas por centro de custos, os valores das classificações são convertidos da seguinte forma:

1º Se o valor do índice no registro da classificação estiver diferente de zero, a classificação será convertida para Reais multiplicando o valor por esse índice.

2º Caso não exista o valor de índice para a classificação, é verificado se o lançamento de pagamento está indexado, se estiver, utiliza-se o valor desse índice no dia do processamento, caso não exista valor para esse índice no dia, será assumido o valor 1,0000.

4 – Tendo totalizado os valores, esses são considerados como rateio de 1º nível, e serão inseridos nas tabelas de armazenamento de custos de rastreamento e de custos apurado diretamente.

5 – Após o processamento dos centros de custos associados as classificações, ocorrerá o processamento dos centros de custos da tabela de rateio por nível. Nessa tabela constam os centros de custos origens e os centros de custos destinos, ou seja, de onde vêm os valores e para onde irão ser rateados. Nesses centros de custos existe um nível que indica a ordem em que ocorrerá o processamento para que os valores que serão descarregados no cento de custo C02 ocorram antes do próprio processamento do rateio do valor deste centro de custo.

6 – Os dados referentes a índice econômico que aparecem na ferramenta de geração de custos serão atualizados no registro de referência selecionado para processamento.

7 – Se durante o processamento do cálculo de custos ocorrer algum problema, todo o processamento será desfeito.

8 – Caso já se tenha processado uma vez uma determinada referência e a mesma seja novamente selecionada para processamento, o usuário é informado sobre e questionado se deve ser reprocessada a referência. Para que isso ocorra os dados anteriormente processados serão excluídos.

 Caso ocorra de haver lançamentos sem ter sido informado um centro de custo, será considerado como centro de custo de código em branco, e todos os valores desse tipo de registro serão totalizados juntos no nível 1.

Exemplo do processamento do custo

Tendo como base o lançamento de pagamento:

FT1000 em Reais no valor de 1000,00 classificado em:

01010000 – Receita de vendas – 1000 – Lucro

01010000 – Receita de vendas – 1001 – Comissão

01010000 – Receita de vendas – 1002 – Marketing

01010000 – Receita de vendas – 1003 – Transporte

01010000 – Receita de vendas – 1004 – Outros

Tendo como base os seguintes percentuais:

– Rateio de 1º nível:

01010000 – Receita de vendas – 1000 – Lucro       – 20%

01010000 – Receita de vendas – 1001 – Comissão    – 10%

01010000 – Receita de vendas – 1002 – Marketing   – 35%

01010000 – Receita de vendas – 1003 – Transporte  – 30%

01010000 – Receita de vendas – 1004 – Outros      –  5%

– Rateio de 2º nível:

1000 – Lucro            – 2000 – Pró labore                –  15%

1000 – Lucro            – 2001 – Funcionários           –  80%

1000 – Lucro            – 2002 – Fundo de reserva    –   5%

1004 – Outros         – 1000 – Lucro                          – 100%

Regra de Cálculo para o Custo de Produto

A regra para cálculo de custo de um Produto depende da configuração realizada na Natureza de Operação que indica quais são os impostos que serão considerados no custo: ICMS, ICMS ST, IPI, PIS, COFINS, etc.

Quando os campos ICMS, ICMS ST, IPI, PIS e COFINS compõe custo do produto estiverem marcada na natureza, o sistema irá calcular o custo da seguinte forma:

• ICMS: Não deduz e nem soma, pois o ICMS é um valor embutido no valor unitário do produto.

• ICMS ST: Será somado esse valor ao valor unitário do produto, pois o valor da Situação Tributária não está embutido no valor do produto.

• IPI: Será somado esse valor ao valor unitário do produto, pois o valor da Situação Tributária não está embutido no valor do produto.

• PIS: Não deduz e nem soma, pois o ICMS é um valor embutido no valor unitário do produto.

• COFINS: Não deduz e nem soma, pois o ICMS é um valor embutido no valor unitário do produto.

Por exemplo:

Produto
Valor UnitárioR$ 100,00 
IPIR$ 5,005%
ICMSR$ 18,0018%
ICMS STR$ 0,000%
Sem IPI na Base
PIS1,651,65%
COFINS7,607,60%
Com IPI na Base
PIS1,731,65%
COFINS7,987,60%

Seguindo a regra acima o custo chegaria no valor de R$ 105,00.

No entanto, utilizando esse mesmo valor com uma natureza de operação com todas essas opções desmarcada o sistema chegaria no seguinte custo: R$ R$ 72,29 ou R$ 72,75,dependendo de como estiver a configuração.

Vamos entender agora essa questão do PIS/COFINS:

• Se na Natureza de Operação >> aba Configurações C >>  opções  IPI não recuperado para crédito fará base para PIS? e  IPI não recuperado para crédito fará base para COFINS?, estiverem marcadas (conforme a imagem abaixo), o IPI entrará na base de calculo.

• Dessa forma para que o sistema também considere o IPI na base para fazer a dedução do PIS/COFINS, é necessário que na Natureza de Operação >> aba Configurações B >> as opções  IPI entra na base para PIS nas Entradas/NRM ? e  IPI entra na base para COFINS nas Entradas/NRM ? estejam marcadas, conforme a imagem abaixo.

Este documento foi útil para você?

Doc. Anterior

Visão Geral